A INOSAT FOI GALARDOADA PELA PRIMEIRA VEZ COM O PRÉMIO PME EXCELÊNCIA, UM ESTATUTO CRIADO PELO IAPMEI COM O OBJECTIVO DE DESTACAR O DESEMPENHO SUPERIOR DAS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS EM PORTUGAL.

O prémio foi entregue no passado dia 10 de Fevereiro, em Santa Maria da Feira, numa cerimónia que contou com a presença do ministro da economia, Manuel Caldeira Cabral.

“Estamos extremamente orgulhosos por receber esta distinção. A Inosat tem trabalhado continuamente para ser cada vez mais uma empresa de excelência, não apenas no plano financeiro, mas também na forma como se relaciona com o mercado e com os clientes”, afirma Jorge Carrilho, CEO da Inosat acrescentando ainda que “a atribuição deste prémio é sem dúvida vista por todo a estrutura da empresa com um reconhecimento do nosso esforço e um incentivo para continuarmos o trabalho desenvolvido.”

A selecção das PME Excelência é feita anualmente a partir do universo PME Líder, estatuto que a Inosat detém há já 4 anos.

A distinção PME Excelência premeia o mérito de pequenas e médias empresas que apresentam os melhores indicadores financeiros e de gestão de cada sector de actividade, e tem como objectivo conferir notoriedade, optimizar o relacionamento com a banca e a administração pública, servindo igualmente como um certificado de qualidade na relação destas empresas com o mercado.

O projecto PME excelência foi criado pelo IAPMEI e conta com a parceria do Turismo de Portugal e de vários bancos a operar em Portugal, nomeadamente: Banco BIC, o Banco BPI, o Banco Popular, o Barclays, a Caixa Geral de Depósitos, o Crédito Agrícola, o Millennium BCP, o Montepio, o Novo Banco, o Novo Banco Açores e o Santander Totta.

Privacy Preference Center

Estritamente Necessário

Cookies necessários para o correcto funcionamento do site.

__cfduid

Close your account?

Your account will be closed and all data will be permanently deleted and cannot be recovered. Are you sure?

Todas as suas ações serão monitorizadas durante o horário de trabalho, sendo por isso natural que alguns profissionais não se sintam confortáveis com o facto de estarem a ser "vigiados" pela empresa.